'A crise no Mercosul só se agravaria com a entrada de Hugo Chávez'

Temos que analisar essa questão sob dois aspectos. Do ponto de vista econômico, a entrada da Venezuela no Mercosul seria positiva, pois o país é o quarto maior produtor de petróleo do mundo e tem um grande mercado consumidor. Já do ponto de vista político, a questão é mais complexa. Hugo Chávez é imprevisível e o que realmente lhe interessa é um palanque político. Mas, ao pleitear a entrada de seu país no bloco econômico, ele não pensou no custo político que isso representaria, ou seja, a liberalização comercial nas áreas agrícola e industrial. Acredito que agora ele esteja sofrendo pressões internas e busca uma desculpa para se livrar do compromisso assumido - a reação do Congresso brasileiro ao ultimato de Chávez veio a calhar. Se realmente a Venezuela desistir de sua candidatura, penso que será positivo para o Mercosul, que vive um momento de crise, causado pela falta de vontade política de seus integrantes de cumprir o Tratado de Assunção. Essa situação só se agravaria com a entrada de Hugo Chávez.

Rubens Barbosa, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2007 | 17h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.