A inspeção veicular ambiental é eficaz no combate à poluição?

Maior parte dos internautas que responderam ao fórum 'Aliás', que ficou uma semana no ar, acredita que não

O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2009 | 20h55

Para reduzir os poluentes emitidos em São Paulo, parte da frota da cidade passará pela inspeção veicular ambiental neste ano. Pela primeira vez, a fiscalização será obrigatória para 1,5 milhão de carros fabricados a partir de 2003 e as 770 mil motos que circulam na capital. Os veículos a diesel também vão passar pela vistoria. No total, cerca de 2,6 milhões de automóveis serão convocados para o programa. Os testes incluem, além do exame visual do motor, a sua inspeção computadorizada. Se o veículo for aprovado, o proprietário receberá um certificado. Resultado da enquete:Sim - 21%Não - 79%O QUE PENSAM OS ESPECIALISTAS"O programa pode reduzir as emissões em até 15%"Fernando ReiPresidente da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb)"O modelo de desenvolvimento urbano de São Paulo ainda privilegia o transporte individual e, com as emissões das fontes industriais sob controle, é a contaminação atmosférica de origem veicular a principal responsável pela qualidade do ar na cidade. O equacionamento desse problema pressupõe ações articuladas entre diversos entes e integradas a outras áreas estratégicas, que cuidem da redução na utilização de combustíveis fósseis, da melhoria da qualidade desses, de novas tecnologias, dos impactos na saúde da população, entre outras medidas urgenciais.   Espera-se que o programa de inspeção veicular possa reduzir as emissões totais médias da frota circulante em até 15% de monóxido de carbono, hidrocarbonetos e material particulado - produto da queima de combustíveis fósseis em motores de veículos. A redução dos níveis de emissão dos automóveis novos e seminovos é fator fundamental. No entato, isso não garante, por si só, a melhoria da qualidade do ar. A inspenção deve incorporar paulatinamente os automóveis com mais de seis anos, muito mais poluidores, e dessa forma a implantação do programa será uma ferramenta importante e eficiente para o planejamento do transporte urbano sustentável, que pode servir de exemplo para outras metrópoles.""Carros fabricados até 99 produzem 60% da poluição"Oded GrajewFundador do movimento Nossa São Paulo"Apesar de prevista em lei desde 1998, quando entrou em vigor o mais recente Código de Trânsito Brasileiro, a inspeção veicular ainda não virou prática no País. O texto deixa claro a obrigatoriedade de os Estados brasileiros regulamentarem a inspeção veicular. E, em 2001, foi determinada a implantação da prática também em municípios com frota maior que 3 milhões de veículos. Porém, até o ano passado, somente o Estado do Rio de Janeiro havia iniciado seu programa de inspeção veicular. Agora, a Prefeitura de São Paulo dá o exemplo e começa a efetivar essa tão importante medida, que certamente ajudará a salvar milhares de vidas e evitar a proliferação de doenças.   Aliada à melhoria da qualidade dos motores e do combustível - principalmente do diesel - a inspeção veicular é uma medida bastante eficaz. Entretanto, da forma como foi colocado em São Paulo, a eficácia do projeto está bastante comprometida. Ao excluir os veículos fabricados até 2002 - o que corresponde a 3,5 milhões de carros -, corremos o risco de continuar convivendo com índices exorbitantes de poluição. Segundo dados de institutos renomados, os veículos fabricados até 1999 são responsáveis por mais de 60% da poluição do ar. Esperamos que a inspeção veicular em São Paulo abranja toda frota que circula na cidade e que a iniciativa paulistana motive outras cidades do País."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.