A mulher que só existe em sonhos

AMBULATÓRIO DA NOTÍCIA - Unidade de tratamento para quem sai mal na foto

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2009 | 01h52

Dilma Rousseff protagonizou noite dessas um pesadelo diferente daqueles de sempre. Sonhou que Marina Silva e Lina Vieira eram a mesma pessoa (foto). Marina Lina misturava, além dos nomes, a consistência da senadora com a embalagem de franjas e pompons da ex-secretária da Receita Federal para enfrentar a ministra no paredão de um reality show político, o Big Brother Brasília.

O clima na "casa" era de tensão e expectativa crescentes. O País todo discava um 0800 qualquer coisa para eliminar uma ou outra, Dilma ou Marina Lina! Quando chega a hora do Pedro Bial dos sonhos da ministra anunciar que, "com mais de 50 milhões de votos, o público decidiu detonar a...", a chefe da Casa Civil desperta num salto para uma realidade ainda mais desconcertante: ela estava atrasada para pagar o mico de pedir ao Aloizio Mercadante que aceitasse o papel de morto-vivo da liderança do PT.

Afora os beliscões que a cada meia hora pede à secretária Erenice Guerra - "pra ver se eu estou acordada" -, Dilma Rousseff mantém a tranquilidade. Reza toda noite para que Marina Lina não volte mais. Nunca mais!

Tem coisa pior

O brasileiro reclama da pizza que lhe servem de barriga cheia. O pior no Congresso, como disse dia desses Ideli Salvatti, "é a unha do pé da galinha virando canja de novo". A senadora mandou essa na TV Senado bem na hora do almoço - que nojo, né não?!

Nada a ver

O fato de José Serra não ter terminado o curso de engenharia não tem nada a ver com aqueles desacertos na construção de sua imagem. E não se fala mais nisso, OK?

Agenda positiva

Quando enfim tudo isso passar, o xale que Dilma Rousseff teria usado no suposto encontro com Lina Vieira vai valer uma grana em leilão na internet.

Mora na filosofia

O presidente Lula está coberto de razão em sua análise sobre deserções no PT: "Tudo que entra sai". Se, depois, será jogado no ventilador, aí já é questão de foro íntimo, né?

Pode crer!

Fernando Henrique Cardoso quer que o ministro Nelson Jobim discuta a compra de submarinos com a sociedade. Desde já, todavia, o ex-presidente lamenta que não vá poder comparecer, ocupado que está com o debate sobre a descriminalização da maconha.

Metamorfose ambulante

No discurso da última terça-feira na tribuna do Senado, José Sarney comparou-se a um personagem clássico do escritor checo Franz Kafka. Josef K., protagonista do livro O Processo, é um sujeito que acorda um belo dia condenado, sem fazer ideia do crime que cometeu. Do mesmo autor, tem também aquela outra história fantástica do cara que se transforma em inseto.

Direitos iguais

Justiça seja feita a Caetano Veloso nesse imbróglio da Lei Rouanet: saiu a autorização do Ministério da Cultura para Gilberto Gil captar uma grana bacana a título de incentivos fiscais para a produção de seu DVD e, pelo menos até agora, a imprensa especializada em tirar baiano do sério não invadiu o camarim do artista para dar uma dura no marido da Flora. Será que os jornalistas temem mais ela que a Paula Lavigne?

Apagão

Como se diz na novela das 8, que diabos está acontecendo com as lamparinas do juízo do Aloizio Mercadante? Hare baba, senador!

Mal comparando

O ex-cirurgião Hosmany Ramos está preso na Islândia em cela com TV, computador e iPod. Melhor que isso, francamente, só julgamento no Conselho de Ética do Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.