A semana

PREMIÊ TAILANDÊS É DEPOSTOProtestos que culminaram com a paralisação, por uma semana, de dois aeroportos de Bangcoc fizeram a Suprema Corte depor o primeiro-ministro da Tailândia, Somchai Wongsawat. Além de ser acusado de fraude eleitoral, Wongsawat era um fantoche de seu cunhado, Thaksin Shinawatra, antecessor no cargo, que fugiu em meio a escândalos de corrupção. Na tentativa de encerrar a crise política no país, os principais partidos governistas foram dissolvidos. O premiê e outros 59 condenados estão inelegíveis por cinco anos.CONSELHO DE ÉTICA ABSOLVE PAULINHOO Conselho de Ética da Câmara rejeita cassação do deputado Paulo Pereira da Silva. Ele era acusado de envolvimento em esquema de desvio de dinheiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Com ajuda da base aliada e dois reforços da oposição, Paulinho foi absolvido por 10 votos a 4. O pedetista ainda é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal.VALE DEMITE 1,3 MIL FUNCIONÁRIOSA maior exportadora brasileira, a Vale do Rio Doce, demite 1.300 funcionários e anuncia férias coletivas para outros 5.500. Na sede da mineradora, no Rio de Janeiro, departamentos inteiros serão fechados. Analistas de mercado afirmam que a medida aponta um corte mais profundo na produção do que os 30 milhões de toneladas anunciados pela empresa no fim de outubro. JOALHERIA PERDE R$ 254 MI EM ASSALTOLadrões roubam uma das joalherias mais famosas de Paris, a Harry Winston. O valor do material roubado é estimado em R$ 254 milhões. Segundo a polícia, os criminosos conheciam os empregados pelo nome e sabiam os lugares onde estavam guardadas as jóias. Eles ameaçaram com armas os funcionários e os clientes, chegando a agredir algumas pessoas. A polícia informou que esse foi um dos maiores roubos na história da França. ZIMBÁBUE DECLARA EMERGÊNCIA Diante de uma epidemia de cólera que infectou mais de 12 mil pessoas e deixou pelo menos 560 mortos, o Zimbábue declara estado de emergência. A crise econômica e o impasse político intensificaram o colapso do sistema de saúde. O presidente Robert Mugabe, no poder há 28 anos, não consegue negociar com a oposição, liderada por Morgan Tsvangirai. Eles não estabeleceram um acordo para dividir o poder. Enquanto isso, a população sofre também com a hiperinflação e falta de alimentos, num cenário marcado por greves e protestos.

O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2008 | 00h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.