'A viagem, que eu havia planejado por tanto tempo, poderia não ocorrer'

Carta aberta ao secretário argentino de Transportes Ricardo Jaime

Guilherme Abreu Araujo, ESTUDANTE, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2008 | 22h05

Estou decepcionado com a companhia aérea Aerolíneas Argentinas. Comprei um pacote de viagem para passar uma semana em Bariloche durante o mês de julho. A viagem estava marcada para 12 de julho e o vôo AR-2957, que tinha partida prevista para 17h20min, atrasou cerca de três horas. Seguiríamos até Buenos Aires, onde faríamos uma escala, para continuar até Bariloche. Porém, ao aterrissarmos no Aeroporto de Ezeiza, em Buenos Aires, o piloto nos informou que não poderíamos continuar a viagem e solicitou o desembarque imediato de todos os passageiros. Os funcionários da empresa não nos deram informações coerentes e o balcão da companhia ficou inúmeras vezes vazio. Permanecemos no saguão de desembarque por nove horas. A situação foi humilhante: passamos a noite no aeroporto e tivemos que dormir no chão. A viagem, que eu e um grupo de amigos havíamos planejado há tanto tempo, poderia não ocorrer. Além de todo o inconveniente causado, nossa excursão era composta em sua maioria de passageiros menores de idade, como eu. Após remarcarem nosso vôo quatro vezes, conseguimos, finalmente, seguir viagem. Chegamos a Bariloche 14 horas após o horário previsto, perdemos um dia de nossa programação e estávamos exaustos. A companhia não nos deu nenhum tipo de suporte durante o trânsito. Na volta houve mais uma situação de desorganização, o que fez o vôo atrasar quase três horas para partir por motivo de overbooking. Espero que essa situação se normalize logo. Tanto a pontualidade da empresa quanto a capacitação de seus funcionários precisam melhorar. Caso contrário, a viagem de muitos turistas poderá ir por água abaixo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.