Carla Bruni, a louca

Ambulatório da notícia - unidade de tratamento para quem sai mal na foto

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2008 | 21h47

Nicolas Sarkozy e sua linda Carla Bruni cruzaram-se esta semana na ante-sala do Ambulatório da Notícia. Ela entrando elegantemente vestida numa camisa-de-força prêt-à-porter Prada, ele saindo todo pimpão com seus "cinco ou seis cérebros admiravelmente irrigados", conforme descrição que a primeira-dama faz de seu marido, o presidente da França, no livro Carla et Nicolas, La Veritable Histoire (Carla e Nicolas, A História Verdadeira, em tradução literal), escrito com a ajuda de dois jornalistas franceses. Que diabos teria acontecido com a adorável cantora, aquele colosso de ex-top model, para descer do pedestal de discrição que ocupava no Champs Élysées enaltecendo desse jeito um troço que desafia o bom senso até da Luciana Gimenez? A vantagem de ter cinco ou seis cérebros deve ser a mesma de ter quatro umbigos, cinco pés, nove cotovelos, 47 dedos, sete joelhos, 12 joanetes, sete verrugas ou meia dúzia de sovacos. E já que citei a Luciana, que fique aqui também registrado em sua defesa o seguinte: ela nunca falou em público da parte "admiravelmente irrigada" de Mick Jagger. Os fãs de Carla Bruni têm uma explicação para o que está acontecendo: ela enlouqueceu, só pode estar maluca, não fala mais coisa com coisa. Dizer que Sarkozy é um cara "ponderado, divertido e calmo", peralá, que outro presidente usa expressões como "sai pra lá, imbecil" no corpo-corpo de rua com eleitor, ainda mais aposentado. Carla, não resta dúvida, pirou.Pode ser, também, que esteja sendo mantida no palácio a contragosto, sob fortes medicamentos tarja preta misturados à sua bebida, o que a deixaria em permanente estado de confusão mental. Se ao menos o que a encantasse no sujeito fosse só a inteligência, mas não! "Seu físico e seu charme me seduziram." Loucura, loucura, loucura. Dá para imaginar a Carla Bruni, com aquele seu jeitinho Nara Leão de cantar, perguntando à ministra da Justiça, Rachida Dati, junto ao leito presidencial, se ela gostaria de tê-lo ocupado? Está tudo no livrinho que saiu esta semana e que levou a primeira-dama mais bonita do mundo a baixar enfermaria. Chegou mal na foto.Há quem sustente a opinião de que ela, num ato de amor heróico, está sacrificando sua própria imagem para salvar a do marido. De fato, Nicolas Sarkozy viveu a melhor semana de sua existência como presidente. Afora os "cinco ou seis cérebros admiravelmente irrigados" que, agora todos sabem, levam as mulheres à loucura, o homem virou estátua de cera no Museu de Madame Tussauds em Londres, participou da cerimônia de adeus a Yves Saint Laurent em Paris, discursou contra a fome em Roma, visitou o parlamento na Grécia e, de volta à França, viu sua popularidade crescer de 32% para 37% . A pesquisa, diga-se de passagem, foi realizada antes da revelação sobre os "cinco ou seis cérebros admiravelmente irrigados", que funcionam dia e noite no Champs Élysées.Sarkozy recebeu alta na manhã de ontem, prometendo voltar hoje ao Ambulatório da Notícia, mas só para visitar a patroa.Eurico do bemA truculência da PM de Pernambuco no Estádio dos Aflitos, mais um capítulo da novela ?Há coisas que só acontecem ao Botafogo?, trouxe de volta à cena esportiva a figura séria, honesta, bem intencionada e patética de Bebeto de Freitas, presidente do clube carioca da estrela solitária. Sopro de renovação na cartolagem brasileira, especializou-se em dramalhões. Chora, renuncia, esbraveja, se transtorna. No domingo passado, ao tentar arrancar seu zagueiro das garras da polícia, Bebeto apanhou. Seu drama de injustiçado em nada ajuda o futebol. Alguém precisa lhe dizer que ele está virando uma espécie de Eurico Miranda do bem.Fechou o tempoNão convidem o escritor Paulo Coelho e o empresário Marco Antonio Audi para a mesma mesa. O sócio brasileiro na compra da VarigLog disse em entrevista à TV Globo que só conhece "duas pessoas" que sabem fazer chover: Deus e o advogado Roberto Teixeira, compadre do Lula, a quem Audi teria pago US$ 5 milhões para que fizesse chover em sua horta. Além do desconhecimento a respeito dos poderes do mago, o que deixou Paulo Coelho mais aborrecido é que, pela metade do preço, ele faria o serviço. Amar é...Pra você que acha sua família uma maluquice, a BBC de Londres informa que, no País de Gales, a escritora britânica transexual Jan Morris casou-se com sua ex-mulher, de quem estava separada desde 1972, quando submeteu-se a uma operação para deixar de ser James. Ou seja, está tudo bem com os seus. Relaxa, vai!

Tudo o que sabemos sobre:
calar bruninicolas sarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.