De que lado não estamos?

Não vale pedir ajuda aos universitários, consultar as cartas ou pular a questão, como faziam os sabatinados do Silvio no Show do Milhão. Sua opinião aqui não vale absolutamente nada!

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2010 | 01h48

Até porque - não sendo índio, ambientalista, cineasta canadense, governista ferrenho ou oposicionista empedernido - duvido muito que o caro leitor tenha formado alguma posição pessoal sobre a conveniência da construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Xingu. A pergunta, sem mais rodeios, é a seguinte: você é contra ou a favor da porcaria dessa obra?!

Desde aquela algazarra no debate sobre a transposição das águas do Rio São Francisco - lembra? -, o brasileiro não se sentia tão despreparado para definir de que lado está numa gritaria do noticiário nacional.

Desta vez com o agravante de não contar com a referência da opinião da Letícia Sabatella para balizar a vontade própria. Teve gente, eu me lembro muito bem, que na época da greve de fome do bispo de Cabrobó se decidiu a favor da transposição do São Francisco só porque a atriz era radicalmente contra a obra. Mas não dá para repetir o truque e agora defender a formação do lago da mega usina no Xingu por pura antipatia à militância mercadológica de James Cameron, o diretor de Avatar, que abraçou a causa como se fosse um personagem do próprio filme perdido na Pandora brasileira. Sabatella, pelo menos, não ganhava nada com isso! Na dúvida, recomenda-se, melhor admitir logo de uma vez: "Eu não sei o que pensar sobre a hidrelétrica de Belo Monte!"

Se isso te alivia, se você se sente em casa nesse grupo que desistiu de vez de tomar partido nas grandes questões nacionais, fique esperto: estão querendo nos induzir a escolhas erradas. Mantenha-se firme na ignorância até que os dois lados passem a discutir ideias que te sirvam de base de raciocínio. Não se deixe levar pela gritaria!

Cinzeiro do mundo

Será possível que as leis antitabagistas internacionais permanecem em vigor na Islândia? Difícil acreditar que os vizinhos daquele vulcão ainda se incomodem com fumaça de cigarro.

Tudo se transforma

Enfim uma boa notícia para Amy Winehouse: a mulher do Ozzy Osborne vai transformar suas próteses de seio em pesos de papel para o marido. A cantora pode muito bem usar as dela para acertar a cabeça de um paparazzo qualquer, por exemplo

Diplomacia

Celso Lafer já decidiu: a próxima vez que tirar os sapatos em público vai ser para arremessá-los contra o Lula, que ridicularizou dia desses a passividade do ex-chanceler de FHC durante revista que o deixou descalço em aeroporto dos EUA.

Da missa, a metade

Silvio Berlusconi foi acusado de "sacrilégio" por, sendo ele divorciado, ter recebido a hóstia numa cerimônia religiosa. O primeiro-ministro deve alegar em sua defesa a mais completa ignorância no assunto. Pensava, sinceramente, que sacrilégio fosse aquilo que rolava nas orgias que promovia quando ainda era casado.

Coisa de louco

Abimael Guzmán, fundador da guerrilha maoista Sendero Luminoso, no Peru, iniciou greve de fome reivindicando o direito de se casar na cadeia. Pra você ver o que a prisão faz na cabeça de um homem, né?

Recrutamento zero

Estudo revela que, devido à obesidade, 9 milhões de americanos em idade de alistamento militar são dispensados pelas Forças Armadas nos EUA.

Será que não é por isso mesmo que eles engordam?

É o maior

De Maradona, comentando a propaganda da Louis Vuitton que, modéstia à parte, coprotagoniza com Pelé e Zidane: "Eu sou o mais mala dos três!"

Brecha de mercado

Chega nos próximos dias aos camelôs de Belo Horizonte a versão pirata do Toyota Corolla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.