Ele fez a cabeça da Dilma

Não se fala de outra coisa no salão de Celso Kamura, que repaginou a pré-candidata do PT

Ivan Marsiglia, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2010 | 01h35

Menina, não se fala de outra coisa aqui neste salão. Bafo. Segredo? Nada. Aqui todo o mundo sabe tudo de todo o mundo. Você ainda é cliente nova, mas eu já venho faz sete anos. Desde que o Celsinho abriu nos Jardins. Nem te conto. Deixa só ele subir para o terceiro andar pra atender o pessoal da revista Máxima. É lançamento, trouxeram a mocinha que trabalha no departamento de marketing de uma empresa para fazer a "transformação da leitora". Sabe quando vem com o cabelo uó e sai mara? Isso. Agora posso falar o que está todo o mundo comentando. Ele fez a cabeça da Dilma.

Aquela mesma, a candidata. Não foi cabelo só não. Look total: corte, cor e maquiagem. Que Celso Kamura não é só cabeleireiro, querida. É um profissional polivalente. Se ficou bom? Você não viu no programa do Ratinho? Ele até elogiou, falou que tinha "consertado" o cabelo dela. Só o cabeleireiro da Mariana Ximenes que disse no jornal que achou cafona. Mas esse aí não sabe nada, é um invejoso. E lá cabelo de candidata pode ser moderno? Tem que ser assim, estilo glamour. Povo gosta de luxo, você sabe.

O babado foi no dia 14, uma sexta-feira. Mandaram o Celsinho voar direto pra Brasília de manhã cedo. Chegou no aeroporto, tinha carro com motorista esperando por ele. Embarcou com a assistente e duas malas de viagem - uma grandona, de rodinhas, só com tesoura, escova, os produtos da marca própria dele. Foram direto pro escritório do homem. Lula? Que Lula, boba! Do João. O João Santana, marqueteiro da campanha. Ele explicou que eles queriam dar uma repaginada na Dilma, mas que era pro Celso falar com jeito, que ela nem sempre aceita fácil a opinião dos outros. E aí? Calma, mulher, tá com pressa. Deixa de ser agoniada, falta fazer a mão esquerda ainda... Olha o Celso vindo aí, retocar a cor daquela moça do golden retriever. Que lindo o cãozinho amarrado na cadeira, esperando a dona enxaguar o cabelo! Ela me disse que tem oito meses e chama Ceni, de Rogério Ceni. É que o namorado dela é são-paulino. Fofo, né?

Mas, voltando a Brasília, depois do almoço levaram o Celsinho na casa da Dilma. Quando ele deu de cara com ela, ficou bege: "Nossa, a senhora não é nada fotogênica!" Cala-te boca! Ela ficou assim sem graça, e ele logo emendou dizendo que dava para sair bem melhor na foto. E foi explicando que aquele cabelo vermelho-ruivo era muito pesado, e o volume nos lados deixava o rosto dela redondo. Então, mostrou uma referência, a foto da estilista Carolina Herrera, chiquérrima. Dilma aprovou e mandou tocar a obra.

Celso desfiou o cabelo atrás, tirou bem dos lados e foi deixando o volume mais para cima da cabeça - pra dar uma alongada no rosto, sabe? E iluminou o tom, com uma tintura loiro-escuro-caramelo. A Dilma tem aquelas sobrancelhas muito arqueadas, e ele desbastou um pouco no alto, para suavizar a cara de brava. Mas disse que o olhar forte, assim, de guerrilheira, era a coisa mais bonita no rosto dela - sugeriu que ela passasse um delineador básico pra valorizar. A-rra-sou. Terça-feira, quando o Celso voltou lá pra maquiagem no estúdio, antes da gravação do programa eleitoral, ela agradeceu: "Minha mãe nunca gostou de me ver de cabelo curto. E ela adorou".

Onde é que ele aprendeu tudo isso? Ah, minha filha, anos de profissão. Começou com 17, e está com 51... Nem parece. Olha ele ali, correndo pra passar a máquina naquele menino com cara de roqueiro. O cliente trouxe até o iBook com wireless pra mostrar o corte que ele quer. Pense! Esse japonesinho de 1,60 m parece despachado, mas é bem oriental na hora de trabalhar. Passa o dia todo aqui, às vezes nem almoça. Uma vez por mês, vai a Campinas cortar na nova filial do salão. Você precisa ver aquelas madames do interior fazendo fila no Galleria Shopping pra passar por ele...

Também, né? O look da Grazi Massafera na novela Tempos Modernos, quem fez? A Juliana Didone, que tinha aquele estilo Chiquititas, do SBT, ficou toda sexy pra fazer Malhação. E a Larissa Maciel, a Maysa da minissérie, lembra?, se apaixonou pelo cabelo da sua nova personagem na novela Passione. Tudo by Kamura. E não é só isso. A Ana Hickmann, da Record, também corta com ele. Foi Celso quem convenceu a Angélica a tosar aquele cabelão loiro, que ela não mudava nunca. Só a Patrícia Poeta ainda insiste em só aparar as pontas: diz que curto mesmo só depois que tiver todos os filhos. Alguém entende?

Mas tem homem também: Luciano Huck, Rogério Flausino, até o Datena. E gente da política, claro. Aquele senhor grisalho que o Celso está desfiando agora veio de Brasília. Tem cara de deputado. Chegou com aquela mulata toda elegante, que está fazendo o pé. Diz que foi até porta-bandeira da Grande Rio. E adivinha quem indicou o Celso pra Dilma? Marta Suplicy. Ela mesma. Já cortava no salão antes de ser prefeita. E no esquema família: os filhos dela, Supla e João, vêm também. Só que preferem cortar com a Natalia, aquela assistente mais moderninha. Pena que o senador Eduardo não aparece, pra gente suspirar um pouco, né? Ai, ai.

Mas veja que técnica com a tesoura. Não leva 15 minutos. R$ 350, o corte. Uma pechincha. Já deixei R$ 860 aqui, por corte, pintura, escova e maquiagem. Mas é o que digo, amor-próprio não tem preço. O Fernando, do café ali nos fundos do salão, estava contando que o que tem de gente que chega cabisbaixa, cheia de problemas, senta naquela cadeira e sai de alto astral... Ó o meu braço, fico arrepiada. Além disso, não tem pra ninguém. Está vendo aquela cabeleireira? É a Cléia, que já trabalhou com o Wanderley Nunes e o Marco Antonio de Biaggi, o primeiro time do ramo. E diz que o Celso é o mais completo de todos. Tá, bem? Fora a humildade: não importa se o cliente é famoso ou anônimo, trata todo o mundo igual. Como diz meu maquiador, o Roosevelt, Celso é um artista, faz para si, não é pros outros não.

Pudera, né?, veio de baixo. Quando nasceu, o pai, filho de japoneses, colhia café em Bela Vista do Paraíso, no Paraná. Acredita? Ele é o caçula de cinco filhos. "Dois homens, duas mulheres e eu, pra ficar meio a meio", sempre brinca, o bobo.

Quero ser Jacques Janine. Quando tinha 10 anos, Celsinho veio morar com a avó em São Paulo, no bairro da Liberdade. Nessa época, não gostava da colônia de jeito nenhum. E morria de vergonha de ter olho puxado. Até cirurgia de correção quis fazer. Mas depois que foi para Tóquio, em 1992, diz que achou o país tão moderno, e tratava tão bem as pessoas de idade, que agora tem orgulho de ser sansei.

Ele tinha 17 e trabalhava num escritório de contabilidade quando um vizinho cabeleireiro chamou para um teste num salão lá no Ipiranga. Nunca tinha feito curso, nada. Mas se revelou. Logo abriu o próprio salão, simplesinho, num sobrado improvisado na Aclimação. Na época, o que ele mais queria era ter uma casa tipo Jacques Janine. Sonho de pobre, né?

Logo progrediu pro Campo Belo e, aí, Jardins. Aqui era um restaurante de comida kosher quando ele comprou, pôs abaixo e refez em pré-moldado. Tudo de concreto e vidro, bem chique. Três andares, quatro ambientes, elevador panorâmico... Acha que parou? Nada, já está fazendo o quinto, lá em cima. Só não sai é daquele bendito apartamento na Aclimação. Eu acho o bairro de quinta. Mas ele adora, fazer o quê? Se é casado? Nada. Vive com dois cães da raça west highland white terrier. Sabe aquele, da propaganda do iG? O dia que ele viu na TV, surtou. O top model canino era americano e a raça quase não existia no Brasil, mas ele mandou buscar. Batizou a fêmea de Donna e o macho, de Alê... Homenagem à Donna Karan e ao Alexandre Herchcovitch, que é unha e carne com o Celso. Acredita que hoje o Alê - o cachorro, não o estilista - virou garoto-propaganda?

Menina, mas que burburinho é esse no salão? Deve ser alguma figurona. Ah, já sei. Disfarça, mas sabe aquela loira de cabelo oval passando laquê com o Celso? É dona Ester, mulher do bispo. Ele mesmo, o Edir Macedo! Já vi tudo: daqui a pouco Celsinho vai estar se achando.

Outro dia peguei ele desfilando dicas para tudo quanto é político. A Marina Silva ele diz que é fácil, pois "é magra e tem a cor do pecado". Mas devia usar o cabelo solto, um pouco mais curto, com uma escova suave e tintura castanho-clara. José Serra é distinto. Mas com esse cabelo só dos lados, devia "passar um prestobarba pra igualar" e vestir ternos bem cortados, que a roupa dele parece um número acima. Até da Hillary Clinton Celsinho deu de falar! Que tem cabelo longo, fica melhor "com volume na cabeça toda"... Só no da Michelle Obama ele não põe defeito. Diz que, de olhar, sabe que ela faz escova todo dia e usa os melhores produtos. Mas acha que ela precisa de dieta, "pra acompanhar o bofe, que é ma-ra-vilhoso". Bafo, hein, amiga? Melhor falar de cabelo que de política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.