Eles creem que me matam e eu creio que eles se suicidam

Martin Redrado, presidente do Banco Central da Argentina, sobre decisão da diretoria em reduzir seu poder. Ele não poderá mais representar o país nas negociações da dívida externa sem autorização prévia da diretoria

O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2010 | 01h13

Ele era o cara que buscava o cafezinho||

Bill Clinton, ex-presidente democrata americano, falando sobre a inexpressividade política de Barack Obama até pouco tempo atrás no Senado. A declaração foi publicada no livro Game Change dos jornalistas John Heilemann e Mark Halperin sobre os bastidores da campanha eleitoral de 2008

Sou um fusível removível do governo||

Paulo Vannuchi, secretário nacional dos Direitos Humanos, no jornal Folha de S. Paulo, ameaçando entregar o cargo caso haja alteração na Comissão da Verdade prevista no terceiro Programa Nacional de Direitos Humanos

Um novo país jamais sairá de cabeças de gente como Michel Temer, Sarney||

Fernando Meirelles, diretor de Ensaio sobre a Cegueira, criticando as alianças políticas da ministra Dilma Roussef e dizendo que será "palpiteiro" da propaganda eleitoral televisiva da candidata à Presidência pelo Partido Verde, Marina Silva

Quando alguém leva um tiro e sangra como um porco, é isso que quero ver||

Quentin Tarantino, diretor de Kill Bill e Pulp Fiction, discursando na Academia Britânica de Cinema de Londres sobre o uso da violência no cinema. Para ele, essa é a "melhor forma de se conectar com o público"

Você acha que eu vou brigar com o filhinho do Brasil?||

Lindberg Farias, prefeito de Nova Iguaçu, dizendo que, apesar de querer se candidatar a governador, concorrerá ao Senado a pedido de Lula

Eu empresto a minha bota para você pisar na lama||

Morador do Jardim Romano, bairro da zona leste de São Paulo, vaiando o prefeito Gilberto Kassab e criticando a postura dele durante visita ao bairro, que está alagado há mais de um mês por causa das fortes chuvas, deixando 2.008 famílias desabrigadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.