Esvaziando o espetáculo

"Há um sentimento perigoso no ar: 'Agora que tenho liberdade e vivo numa democracia, posso fazer tudo o que quero'." O alerta vem do autor de A Bola Corre mais que os Homens, o antropólogo Roberto DaMatta, ao se manifestar sobre a falta de limites do torcedor - fenômeno de transbordamento que se vê em outros escalões da sociedade brasileira. Em conversa com o jornalista Christian Carvalho Cruz, o historiador Hilário Franco Júnior também reflete sobre a morte do adolescente boliviano numa partida de futebol, alvejado por um sinalizador disparado de dentro da Gaviões da Fiel: "Anônimo na massa, o torcedor quer não só ver como participar do show. Mas pode não se satisfazer. E então vai procurar ser um protagonista no meio da multidão".

O Estado de S.Paulo

03 de março de 2013 | 02h07

EXCLUSIVOxPÁGS. J4 e J5

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.