Foi como uma lata de Pepsi caindo no chão

OMAR HAIDAR, do Exército Livre Sírio, descrevendo o ataque com arma

O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2013 | 02h09

química de Bashar Assad. A princípio, sem cheiro, nem fumaça. Depois,

ele e os outros rebeldes sentiram os sintomas provocados pelo gás tóxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.