Reprodução
Reprodução

Há que se conservar!

Como ficam bolsonaros, felicianos e fidelix diante da musa do conservadorismo dinamarquês?

Mário Prata, O Estado de S. Paulo

14 Março 2015 | 16h00


Enquanto você me lê, centenas, talvez milhares, quiçá (!) milhões de brasileiros estão nas ruas pedindo a queda da Dilma, atendendo a apelos nas redes sociais (“como fizemos com o Collor em 1989”) e até mesmo a derrocada do Alckmin (“que está no poder há exatos 20 anos”). Erros históricos à parte, nem tudo está perdido na internet. A semana movimentou também os belos, hirtos e naturais seios de uma dinamarquesa de 20 aninhos com nome de presidente russo: Nikita Klaestrup. 

Nikita pertence ao Partido Conservador da Dinamarca. A Dinamarca é um reino, tem uma rainha, tem uma primeira-ministra e um Parlamento (o Folketing, literalmente: a coisa do povo) com 179 cadeiras. O partido da moça ocupa apenas oito delas.

Talvez o sucesso na rede (pelo menos abaixo do Equador) não tenha tido tanta repercussão na própria Dinamarca, apesar de um jornal português gritaire: “Decote agita política dinamarquesa”. O máximo que aconteceu foi um político também conservador afirmar: “Nikita é linda e suas fotografias provam-no. Além disso, é politicamente consciente e temos sempre que admirar e apoiar os jovens que se envolvem politicamente”.

Beleza com olhos azuis são marcas das mulheres daquele frio país. Podemos começar com a rainha Margarida II, linda aos 74 anos, com corpinho de 50. A nora e princesa Mary Elisabeth, loira e de olhos azuis, tem 43 anos, mas você não dá mais do que 30 para ela.

E não podemos nos esquecer da belíssima primeira-ministra Helle Thorning-Schmidt, aquela loiraça de 48 anos que enlouqueceu o presidente Obama no velório do Nelson Mandela. Chegaram a fazer selfie e tudo que tinham direito sob o olhar de bilhões de espectadores. E da dona Michelle, que bufava. 

Neste momento, nas ruas de Brasil a temperatura deve estar bastante quente entre panelaços e coxinhas. Mas em Copenhague está apenas começando a esquentar. Já está fazendo 1 grau e todos sabem que em junho, com 21 positivos, todas irão para as praças públicas tomar sol de topless.

Os seios quase nus da militante conservadora me fizeram lembrar da estátua da Pequena Sereia, o maior símbolo em bronze de todo o país. Se você já chegou de barco em Copenhague, viu o monumento da sereia completamente nua, sentada numa pedra. Se observar bem, verá que os seios são tão fartos e lindos como os de Nikita. Mais de 1 milhão de pessoas visitam a estátua todos os anos. A obra foi inspirada no conto do escritor local mais famoso: Hans Christian Andersen (1805-1875), nada conservador.

Ser conservador na Dinamarca é tudo que todos queriam. Veja o que a jovem Nikita quer conservar. O seu país:

- Em 2008, foi considerado o menos corrupto do mundo;

- É o segundo mais pacífico, depois na Nova Zelândia;

- Uma pesquisa de 2006 o considerou o mais feliz do universo, com base em sua saúde, bem estar, assistência social e educação;

- Segundo a revista Forbes, é lá que existe o melhor clima de negócios do mundo;

- Possui o mais alto nível de igualdade de riqueza e o menor índice de desigualdade social.

Há que se conservar!

Será que aquela barulheira lá na rua vai nos levar um dia a viver num país como a Dinamarca? Será que vamos ter na oposição (lá, e até o final do ano, o Parlamento está nas mãos da esquerda) jovens lúcidas e bonitas como a Nikita?

Fico imaginando os símbolos do conservadorismo brasileiro, o Patinho Feio (outro conto do Andersen) Jair Bolsonaro, o filho dele, o Feliciano, o Fidelix, que devem estar batendo cabeças e panelas no momento; fico imaginando, dizia, todos eles olhando para o seio e as coxas da colega dinamarquesa. O que passará pelas suas conservadoras cabeças? O mesmo que passou pela cabeça do Obama olhando para a primeira-ministra Helle? 

Nikita, além de conservadora deve também ser conservacionista, que, segundo o mestre Aurélio, é aquele que “advoga a conservação dos recursos naturais”. 

Tanto os dela como os da sereia.

A pequena sereia Nikita postou durante a semana no Facebook:

- Tenho cerca de 500 novos seguidores no Instagram hoje. A maioria deles parece ser de estrangeiros. Passa-se algo que eu não sei?


MARIO PRATA, ESCRITOR, DRAMATURGO E CRONISTA, É AUTOR, ENTRE OUTROS LIVROS, DE SETE DE PAUS (PLANETA) E OS VIÚVOS (LEYA)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.