Justiça craquelada Kim versus Kim

Uns comparam os atos do CNJ aos praticados na ditadura. Outros abrem mão do sigilo bancário, fiscal e telefônico em prol da transparência. O Judiciário vive um cisma? As liminares do Supremo fazem sentido? Como vigiar um poder tão hermético à fiscalização? "A pretexto de corrigir abusos,

O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2012 | 03h06

o STF pode desmontar a espinha dorsal de um modelo de controle pensado pelos que fizeram a Constituição", diz o jurista Conrado Hubner Mendes, doutor em direito pela Universidade de Edimburgo. O ministro Marco Aurélio Mello contesta: "Há de prevalecer não a vitrine, a visão dos predestinados, mas a percepção da realidade".

Exclusivo | Págs. J4 e J5

Presa por 28 anos

no gulag, ela hoje dá as pistas para desvendar

o regime repressivo

da Coreia do Norte.

Pág. J8

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.