Kátia Abreu, senadora (DEM-TO)

Acusada pela PF de receber R$ 2 milhões da empreiteira OAS para aprovar emenda que alterava concessão de terminais portuários, a senadora teve o seu nome gravado em uma das ligações telefônicas grampeadas pela Operação Satiagraha. Kátia nega ter envolvimento em favor da empreiteira e do empresário Eike Batista, dono da empresa LLX e ligado ao setor.

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2008 | 23h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.