O fim do mundo virtual

A Coreia do Norte custou a se dar conta de que para acabar com essa palhaçada que o Ocidente chama de mundo moderno não precisa de bomba atômica, arma química ou míssil de longo alcance. Sai, inclusive, muito mais barato destruir o planeta via internet. Se trancar meia dúzia de moleques do eixo do mal em torno de um laptop num quartinho de empregada de Pyongyang, daqui a um tempo não haverá mais Twitter, Orkut, Facebook, downloads, sites de pornografia, joguinho de paciência e tudo mais que dá sustentabilidade à vida virtual. As novas gerações achariam menos desastroso se uma ogiva nuclear mandasse o Havaí pelos ares num fim de semana de sol e altas ondas no arquipélago .

O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2009 | 23h43

Sorte nossa que o ciberterrorismo está apenas engatinhando e a banda larga lá praquelas bandas é ainda pior que a nossa conexão discada. Mas, que ninguém se iluda, o ataque dessa semana a sites governamentais dos EUA e da Coreia do Sul foi só um primeiro ensaio da ofensiva final contra a rede mundial de computadores. A ideia é congestioná-la a ponto de tornar um telegrama fonado mais rápido que um e-mail. Vem aí o dia em que será menos aborrecido encarar uma fila de banco do que despachar um doc eletrônico. Qualquer pesquisa no Google vai durar, em média, uma semana de busca. Pode até não ser o fim do mundo, mas, convenhamos, estaremos então bem pertinho dele.

Não espalha!

De uma estudante loura, comentando a notícia de que a PUC-RJ vai começar a fotografar universitários fumando maconha no câmpus: "Deve ser teste para o elenco de Tropa de Elite 2".

Casa de quem?

Lula tomou um susto ao receber em Áquila, na Itália, a notícia de que o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, tinha ido pra casa do Oscar Arias. Dito às pressas, o nome do presidente da Costa Rica é um perigo.

Demonstrativo

Miriam Leitão cacheou os cabelos para caprichar na apresentação de seus comentários sobre economia no Bom Dia Brasil. Na última vez que isso aconteceu, caiu o presidente do Banco do Brasil.

Guerra santa

Amigos do padre Marcelo Rossi estão apreensivos com a iniciativa da Record de convidá-lo para co-estrelar o programa de estreia de Gugu Liberato na emissora do bispo Edir Macedo. Pode ser uma emboscada!

Pouca vergonha

Já estão produzindo espermatozóides em laboratório no Reino Unido. Foi o tempo em que os cientistas - ô, raça! - só faziam esse tipo de coisa no banheiro. Deixa o papa saber disso!

Só o que faltava

Não se fala de outra coisa nos chás vespertinos da Academia Brasileira de Letras: um autor fantasma não identificado na composição do boato teria escrito Marimbondos de Fogo para José Sarney assinar. Será o Benedito?!

Vida nova

Edmar Moreira deve mudar seu nome de registro eleitoral para concorrer à Câmara em 2010. "Deputado do Castelo" é muito mais fácil de guardar.

Falta de decoro

Tanta gente ruim na televisão pra se cair de pau e não é que Marcelo Tas e Luciano Huck foram brigar logo um com o outro, caramba! Mais ridículo ainda é o motivo das estocadas mútuas: os dois lutam pela fama de apresentador com maior número de seguidores no Twitter. Francamente, né não?! Se ainda fosse para consagrar o mais careca ou narigudo... Hare baba, rapazes, comportem-se! Tem gente olhando!

Amigos de fé

Paulo Coelho sentiu de novo aquele aperto no coração. Seu melhor amigo entre os chineses han deve estar, decerto, em apuros.

Oferta e procura

O setor de falsificação de documentos da indústria da pirataria acusou o golpe: o valor de mercado do diploma de curso superior de jornalismo caiu uma barbaridade em junho.

À flor da pele

A incrível e triste história do rei do pop deixa uma série de perguntas sem respostas na vida de todos nós. Por exemplo: você se trataria com o dermatologista de Michael Jackson?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.