O MAPA DA MINA

Num rompante humanitário que contraria sua imagem pública de barraqueira, Courtney Love, a viúva mais famosa do rock dos anos 1990, entrou no site Tomnod e decidiu ajudar. O Tomnod é o site colaborativo da DigitalGlobo que usa imagens de satélite para levantar pistas sobre o paradeiro do avião desaparecido no voo MH370 da Malaysia Airlines. A partir de uma imagem que, a olhos menos treinados, pareceria não mais que ondulações no oceano, Courtney rabiscou no Paint "óleo" e "avião?", amparados por delicadas setinhas apontando para os "rastros" (que, a olhos menos treinados, etc.). "Não sou expert", anotou Courtney no Facebook, ao postar a foto. "Mas olhando direito para isso, parece um avião e uma mancha de óleo. Parece estar a uma milha de Pulau Perak, onde o avião foi rastreado pela última vez. Mas o que sei eu?"

RICARDO ALEXANDRE, RICARDO ALEXANDRE, JORNALISTA, ESCRITOR, É AUTOR, ENTRE OUTROS LIVROS, DE CHEGUEI BEM A TEMPO DE VER O PALCO DESABAR: CAUSOS, HISTÓRIAS DO ROCK BRASILEIRO (1993-2008) (ARQUIPÉLAGO EDITORIAL), O Estado de S.Paulo

23 de março de 2014 | 02h09

Por que será que ninguém se surpreendeu? Em parte substancial, porque é impossível se surpreender com qualquer coisa que venha de Courtney. Seu histórico de surpresas a gabaritaria não só a localizar o Boeing 777, mas a revelar onde estão os ETs no Novo México, o assassino de John Kennedy, a fórmula da Coca-Cola ou qualquer outro factoide que paralise tabloides e sites de fofocas por alguns minutos.

Quando Courtney entrou em nossas vidas, em 1991, era menos a vocalista da banda Hole do que um atestado de legitimidade alternativa de Kurt Cobain. O líder do Nirvana era baixinho, esquisito e depressivo, mas era milionário e genial e poderia amarrar seu burro em qualquer top model do mundo. Mas não: engravidou uma riot girl esquisitona que parecia caída de alguma van psicodélica, casou-se com ela - e com ela tomava heroína mesmo durante a gravidez. A menina nasceu e ganhou o nome de Frances, em provável homenagem à atriz Frances Farmer, aquela que foi lobotomizada e teve trajetória trágica. Isso lá é karma que se transfira à filha? Então.

Frances não deve ter memórias do pai, já que Kurt se matou quando ela tinha pouco menos de 2 anos. Já tem 21 e as constantes brigas com a mãe, curiosamente, são vistas como sinal de sanidade. Passou boa parte da vida sob guarda da avó paterna, e hoje administra 37% da fortuna do pai. Durante uma entrevista a Howard Stern, Courtney Love disse que, depois de diversas desavenças públicas, estava "tudo bem" entre ela e a filha, apesar de não se verem desde 2010.

Courtney promete para breve um novo álbum, Died Blonde, sua primeira tentativa desde o controverso America's Sweetheart. Sempre pairou sobre ela uma espessa camada de boataria de que seu alegado talento para composição variava de acordo com a pessoa com quem estivesse dormindo. O melhor álbum de sua banda Hole, Live Through This, saiu em 1994, quando ela era casada com Kurt. Se deu muito melhor nas paradas que o de estreia, Pretty Inside. O disco seguinte, lançado em 1998, teve a contribuição declarada de Billy Corgan, do Smashing Pumpkins, assim como o seguinte, Nobody's Daughter. O primeiro e único disco solo saiu cercado de controvérsia (para variar). Quase todo composto em parceria com Linda Perry, ex-vocalista do grupo 4 Non Blondes, saiu, segundo a própria Love, sem estar pronto.

Barulho maior causou o documentário Kurt & Courtney, do diretor Nick Broomfield, que mais ou menos defende que Love teve participação na morte do marido. Teorias conspiratórias à parte, o fato é que desde então, se o catálogo musical de Courtney emperrou, sua folha corrida de polêmicas não para de crescer. Love brigou com o ex-guitarrista do Hole Eric Erlandson, se desentendeu com os membros sobreviventes do Nirvana, foi à imprensa comentar a performance sexual de namorados famosos, como o comediante inglês Steve Coogan e o roqueiro Gavin Rossdale. Ao abrir uma conta no Twitter, seu primeiro "pio" desancava o blogueiro Perez Hilton. Também foram vítimas da cantora Lilly Allen, Sharon Osbourne e Dave Grohl - ex-baterista do Nirvana e atual líder dos Foo Fighters, a quem acusou de tentar assediar Frances. A filha saiu em defesa do roqueiro.

O livro Everyone Loves when you're Dead: Journeys into Fame and Madness, reúne, como entrega o subtítulo, "viagens para o mundo da fama e da loucura". Ainda assim, seu autor, o experiente jornalista Neil Strauss se surpreendeu durante a entrevista com Courtney Love. "De repente, ela se levantou e disse 'diga oi para o Kurt!'", recordou Strauss ao site Radar Online. "Então tirou da gaveta uma latinha com as cinzas dele e propôs que a gente cheirasse. Ela estava falando sério."

Diante de tal currículo, como duvidar que Courtney Love tenha de fato encontrado o avião da Malaysia? Uma mulher que vive de enfrentar seus demônios pessoais há tanto tempo e de driblar os perigos a sua volta, ela própria inclusa, deve mesmo saber alguma coisa que nós não sabemos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.