O novo astro da comédia em pé

AMBULATÓRIO DA NOTÍCIA - Unidade de tratamento para quem sai mal na foto

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2009 | 02h02

Os humoristas - ô, raça! - devem estar preocupadíssimos com a concorrência de Lula. Sério! Essa dos brancos irracionais de olhos azuis foi melhor ainda que aquela outra dos cabras machos que não pegam gripe. É preciso reconhecer: esta semana, o presidente esteve numa forma esplêndida. No gênero comédia em pé, francamente, não tem nada melhor na praça. O próprio primeiro-ministro Gordon Brown, que só deu três sorrisos na vida, teve que se segurar pra não rolar de rir num desses espetáculos que o chefe de Estado brasileiro fez para recepcionar o colega britânico no Palácio da Alvorada. "Não conheço nenhum banqueiro negro ou índio." Essa foi demais, né não? Por pouco não inventa uma nova casta, a dos "branqueiros".

O homem manda uma atrás da outra, tudo de improviso. "Sou o único que já passou fome no G-20." Foi engraçado até quando ralhou com a Polícia Federal: "Deixem que nós, políticos, aparecemos na TV". É um brincalhão: "Nós queremos gastar dinheiro!" O problema é que a oposição leva tudo muito a sério. Coisa de probo!

Evidentemente que, optando pela veia cômica, o presidente corre sempre o risco de quebrar a cara. O humor, como se sabe, é um território livre que faz fronteira ora com a grosseria, ora com o preconceito. A graça está em se equilibrar nessa linha tênue que divide uma coisa das outras, sem nunca atravessar os limites da incorreção. Não é fácil! Todo gaiato, na tentativa de levar sua piada ao posto mais avançado da comicidade, já se esborrachou no lado politicamente incorreto da anedota.

Quando isso acontece, o riso dá lugar à indignação. E não só de quem se sente ofendido. É comum nessas ocasiões a plateia reagir com um certo sentimento de pena do protagonista da piada, por mais que ele mereça a zombaria. Agora mesmo, está todo mundo passando a mão na cabeça dessa "gente branca de olhos azuis" por conta do improviso estapafúrdio que Lula arriscou na quinta-feira, em Brasília.

O presidente ainda não aprendeu que tem um certo tipo de brincadeira que a sociedade só permite que se faça com as louras, independentemente da cor dos olhos ou tom de pele. No mais, o homem está com a língua afiada para encarar numa boa qualquer um dos rapazes do CQC de Marcelo Tas.

Presa Fácil

Está de volta ao discurso oficial a tese de que a maneira mais eficiente de se acabar com o traficante é eliminando o consumidor de drogas. Tomara que a polícia do Rio não tome a ideia ao pé da letra.

Esconjuro

O Sobrenatural de Almeida voltou a atacar no Congresso. Parecia coisa do outro mundo a aclamação do senador Almeida Lima, o Almeidinha, na presidência da Comissão de Orçamento.

Dia da mentira

Se alguém te convidasse para um encontro em Londres no dia 1º de abril com a rainha Elizabeth II, você acreditaria? Pois é, o presidente Lula não sabe como falar a respeito com dona Marisa.

Guapo

Essa história de que Carlos Menem abriu concurso para contratar cabeleireiro, francamente, será que o ex-presidente argentino - ô, raça! - ainda não se deu conta de que está praticamente careca? Devia procurar o profissional que implantou aquela costeleta sobre a testa de José Dirceu.

Reciclagem

Do jeito que Barack Obama andou comprando papel podre essa semana, francamente, não será surpresa para ninguém se nos próximos dias o presidente americano pagar um bom dinheiro por garrafas pet.

Em extinção

Com um patrimônio oficial dez vezes menor ao anteriormente declarado ao fisco, Silvio Berlusconi entrou para aquele seleto grupo de bilionários que perderam fortunas e continuam muito ricos. Os ricos, como se sabe, praticamente acabaram no último trimestre de 2008.

Incansável

O ministro Nelson Jobim, da Defesa, aproveitou o domingo passado para assinar na Costa Oeste da África um acordo secreto de cooperação estratégica com São Tomé e Príncipe. Não bastasse tamanha responsabilidade, na volta ao Brasil, o homem ainda cismou de dar uma paradinha em Johannesburgo para assistir aos testes de um novo míssil sul-africano. Ou seja, é sério candidato ao topo da lista no ranking de protagonistas dos melhores programas de índio da semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.