O que passou

MUSHARRAF RENUNCIA NO PAQUISTÃO18/8Após nove anos no poder, o presidente paquistanês Pervez Musharraf deixa o cargo para evitar um processo de impeachment orquestrado pela oposição. A renúncia do general já era esperada. Ele vinha enfrentando pressão para deixar o cargo há meses. O presidente do Senado, Mohammedmian Soomro, assume interinamente a posição de Musharraf.OPOSIÇÃO PROTESTA CONTRA EVO19/8Cinco departamentos da Bolívia que são controlados pela oposição entram em greve durante 24 horas em ato contra o presidente Evo Morales. Santa Cruz, Tarija, Beni, Pando e Chuquisaca convocam paralisação para protestar pelo corte de recursos repassados por La Paz aos departamentos. Os opositores organizaram a greve como forma de mostrar unidade e força diante de Morales, principalmente após o referendo revogatório do início do mês que ratificou o poder do presidente. SUPREMO PROÍBE PRÁTICA DE NEPOTISMO20/8O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decide, por unanimidade, vetar a contratação de parentes de autoridades e funcionários para cargos de confiança no serviço público. Fica proibido o nepotismo nos três Poderes da União, Estados e municípios até o parentesco de terceiro grau. As contratações cruzadas também foram vetadas. Segundo interpretação do STF, o nepotismo desrespeita quatro princípios constitucionais: legalidade, impessoalidade, moralidade e eficiência. Os cargos de ministro do Estado e secretários de Estado e de município estão fora da restrição.AVIÃO PEGA FOGO E DEIXA 153 MORTOS20/8Após decolar do Aeroporto de Barajas, em Madri, o avião MD-82 da Spanair que levava 172 pessoas para as Ilhas Canárias pega fogo e cai. O incêndio no motor se espalhou pela aeronave que, desgovernada e em chamas, parou numa área ao lado da pista. O brasileiro Ronaldo Gomes Silva, que viajava com a sua mulher espanhola, está entre os mortos. A Spanair afirmou que passa por problemas financeiros e, segundo o sindicato de pilotos, a companhia está vivendo um "caos organizacional". ABADÍA É EXTRADITADO 22/8O megatraficante colombiano Juan Carlos Ramirez Abadía deixa o Brasil e segue em uma aeronave do governo dos Estados Unidos para Nova York. A extradição ocorre duas semanas após a PF descobrir que o colombiano articulava a formação de uma quadrilha dentro do presídio federal de Campo Grande (MS).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.