O que passou

OBAMA REFORÇA TROPA NO AFEGANISTÃO17/2Para tentar interromper o avanço das milícias taleban, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, aprova o envio de mais 17 mil soldados para o Afeganistão. O objetivo é mandar um total de 30 mil homens ao país, o que dobraria o efetivo atual. Segundo Obama, a medida foi tomada por causa dos graves problemas de segurança. Com o reforço, as tropas estrangeiras ultrapassaram os 90 mil homens, enquanto as forças afegãs contam com 88 mil soldados mal pagos, corruptíveis e despreparados. No mesmo dia, a ONU divulgou um relatório em que anunciou o aumento de 40% nas mortes de civis afegãos no ano passado, em relação a 2007. LÍDER DO KHMER VAI A JULGAMENTO17/2Kaing Guek Eav, o principal torturador do regime ultracomunista do Khmer Vermelho, é levado a julgamento no Camboja sob acusação de crimes de guerra e contra a humanidade. Conhecido como Duch, ele é o primeiro membro da cúpula do Khmer a ser interrogado desde o fim da guerrilha, em 1978. O regime provocou a morte de pelo menos 1,7 milhão de cambojanos, o equivalente a um quinto da população do país na época. CÂMARA APROVA PUNIÇÃO AOS TROTES18/2Projeto de lei que pune o trote estudantil violento em todas as instituições de ensino superior é aprovado pela Câmara dos Deputados. O texto prevê multa de até R$ 20 mil a quem praticar trote violento e o cancelamento da matrícula do aluno infrator por um ano. Além disso, a proposta obriga as faculdades a instaurar processos disciplinar contra os estudantes responsáveis. A finalidade do projeto é proibir que o trote agrida a integridade física, moral ou psicológica do calouro. Agora, o projeto segue para o Senado. EX-SENADOR TOMA POSSE NA PARAÍBA18/2Após o TSE cassar o mandato do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, por irregularidades na eleição de 2006, o ex-senador José Maranhão assume o cargo. Maranhão, segundo colocado nas eleições estaduais, é alvo de oito processos. Dois deles podem resultar na cassação de seu mandato. Ele é acusado de abuso de poder político e econômico. Em seu primeiro dia de trabalho, o governador demitiu 6 mil funcionários da equipe de Cunha Lima e determinou uma auditoria em todas as contas do Estado. SUÍÇA DIZ QUE BRASILEIRA MENTIU19/2A Justiça suíça afirma que a brasileira Paula Oliveira confessou ter inventado um suposto ataque xenófobo e admitiu que nunca esteve grávida. O laudo médico da polícia já concluíra que ela não estava grávida e levantava a hipótese de automutilação. Nesta semana, Paula será ouvida sob a acusação de falso testemunho. Ela não pode sair da Suíça e seu passaporte está retido. O advogado de defesa da brasileira deve alegar problemas de saúde para reduzir a pena. O presidente do Conselho Federal suíço, Hans Rudolf Merz, garante que o caso não afetará as relações de seu país com o Brasil.

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2009 | 02h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.