O QUE PASSOU

PERDIGÃO E SADIA ANUNCIAM FUSÃO

O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2009 | 22h35

Depois de dez anos da primeira tentativa, os presidentes da Sadia e da Perdigão, Luiz Fernando Furlan e Nildemar Secches, anunciam fusão entre as duas empresas e a a criação da Brasil Foods, a maior do ramo de alimentos industrializados do País. A nova companhia nasce com faturamento de R$ 22 bilhões e será a maior empregadora brasileira, com 116 mil funcionários. A BRF já carrega dívida de R$ 10 bilhões, que deverá ser equacionada com oferta pública de ações no valor de R$ 4 bi. Somente após a emissão dos papéis - prevista para o fim de julho -, se conhecerá a estrutura societária definitiva da nova companhia.

MORRE O CANTOR E COMPOSITOR ZÉ RODRIX

O músico Zé Rodrix morre em sua casa, na capital paulista. O artista tinha 61 anos e, segundo a família, não apresentava problemas de saúde. Sua carreira ganhou destaque quando participou do 3º. Festival da Música Brasileira, na TV Record, em 1967. Casa no Campo, famosa na voz de Elis Regina, Mestre Jonas e Soy Latino Americano são suas músicas de maior sucesso. Rodrix também atuava como jornalista, professor, cozinheiro e escritor.

CHEFE DA MÁFIA ITALIANA É PRESO EM SP

Escondido no Brasil há 15 anos, o chefe mafioso Leonardo Badalamenti é preso pela Interpol no Bairro da Bela Vista, região central de São Paulo. Leonardo é filho de Gaetano Badalamenti, o poderoso Dom Tano. A prisão é fruto da Operação Cento Passi, deflagrada pela polícia italiana e pela Interpol, na qual 20 pessoas acusadas de associações com crimes de corrupção e fraude financeira foram presas em cinco países. A organização tinha ramificações na Itália, Espanha, EUA, Venezuela e Brasil.

CÂMARA LIBERA VIAGENS AO EXTERIOR

A Mesa da Câmara mantém cota para voos internacionais. Depois dos escândalos de uso indevido de dinheiro público por deputados, foi criada a "supercota", verba que unifica todos os benefícios para o exercício da atividade parlamentar. Em abril, a Mesa tinha permitido o uso de recursos apenas no território internacional. Porém, pelo novo texto aprovado, os deputados podem realizar viagens internacionais desde que demonstrem que se trata de interesse do mandato parlamentar. O benefício mensal extra no valor de R$ 1.244,54 foi mantido para um grupo de 200 deputados.

CHÁVEZ ESTATIZA BANCO E EMPRESAS

Depois de o presidente da Venezuela, Hugo Chávez (foto), anunciar a nacionalização de pequenas metalúrgicas e fábricas de cerâmica, o líder divulga que o Banco da Venezuela não será mais controlado pelo Grupo Santander, e passará às mãos do Estado. O banco foi vendido por US$ 1,05 bilhão. Mais de 70 prestadoras de serviço do setor petrolífero e diversas do setor alimentício sofreram intervenções. A redução do peso do setor privado é estratégia de Chávez para implementar modelo socialista no país. O tamanho do setor estatal na economia aumentou 20% nos últimos dois anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.