O que passou

EX-PROMOTOR É PRESO EM SÃO PAULO

O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2009 | 01h13

O ex-promotor de Justiça, Igor Ferreira da Silva (foto), condenado a 16 anos e quatro meses de detenção, é preso em São Paulo. Ele é acusado de ter matado a mulher, Patrícia Aggio Longo, em 1998. Grávida de 7 meses, Patrícia foi morta com dois tiros na cabeça. Desde que foi condenado, em 2001, o promotor estava foragido. Nesse intervalo, Igor morou na Argentina, Santa Catarina e cidades no interior de São Paulo. Ele até chegou a se apresentar em bares tocando violão. Enquanto a família de ex-promotor quer anular a condenação, a família de Patrícia diz não ter certeza de que Igor seja o responsável pelo assassinato da mulher.

JUSTIÇA CASSA 13 DOS 55 VEREADORES DE SP

A Justiça cassa e torna ilegível por três anos 13 dos 55 vereadores da Câmara Municipal de São Paulo. Eles receberam doações ilegais da Associação Imobiliária Brasileira (AIB). A entidade teria distribuído nas últimas eleições R$ 10,6 milhões a candidatos e diretório de diversos partidos. Grande parte dos parlamentares cassados obtiveram só da AIB mais de 20% do dinheiro arrecadado na campanha. Os vereadores teriam recebido doações acima do limite previsto pela legislação eleitoral. No entanto, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo aceitou os recursos apresentados pelos vereadores e permitiu que 12 deles fiquem no cargo até o julgamento.

VATICANO ACEITA FIÉIS ANGLICANOS

O Vaticano anuncia que vai facilitar o ingresso na comunhão católica de fiéis insatisfeitos com sua igreja. O Papa Bento XVI passa a aceitar anglicanos que se sentem desconfortáveis com mulheres no cargo de bispo ou padres assumidamente homossexuais. A abertura também se estende sacerdotes anglicanos casados.

KARZAI RECONHECE FRAUDE EM ELEIÇÃO

Um comitê de investigação ligado à ONU informa que o presidente afegão, Hamid Karzai, não obteve votos suficientes para vencer a eleição realizada em 20 de agosto. Com a recontagem, Karzai ficou com 48% dos votos, o que não seria suficiente para vencer no primeiro turno. Ele reconheceu que houve fraude e aceitou participar do 2.º turno da disputa, marcado para o próximo dia 7. O ex-chanceler afegão Abdullah Abdullah, rival na votação, disse estar preparado para a eleição, mas deixou aberta a possibilidade de formar um governo de coalizão junto a Karzai, o que poderia cancelar o segundo turno.

CONGRESSO CRIA CPI PARA INVESTIGAR MST

A oposição consegue criar a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito destinada a investigar o repasse de verbas públicas a entidades ligadas ao MST. A CPI também vai apurar se houve desvio nesses recursos para financiar as invasões do grupo em propriedade rurais e em prédios públicos. Os senadores Onyx Lorenzoni e Kátia Abreu fizeram o requerimento para criar a Comissão. Em seis anos, esta é a segunda CPI criada para investigar o movimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.