O que passou

SEG.8/4

O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2013 | 02h05

Júri do Carandiru

é remarcado

O mal-estar de uma jurada adia júri dos 26 policiais militares acusados de terem participado do massacre na Casa de Detenção do Carandiru, em outubro de 1992, que provocou a morte de 111 presos. O julgamento foi remarcado para esta segunda, e a mudança na data deve garantir a presença do ex-governador Luiz Antônio Fleury Filho. Arrolado como testemunha de defesa, ele não recebeu a primeira intimação por estar em viagem aos Estados Unidos. Para a advogada de defesa, Ieda Ribeiro de Souza, o depoimento do ex-governador é fundamental para se compreender a cadeia de comando que determinou a invasão do presídio. "Ele vai poder explicar como foi dada a ordem, o que aconteceu para o ingresso na casa de detenção. Houve ordem. Ninguém na PM atua sem ser sob ordem. Não se pode dizer é que ninguém sabia de nada", disse a advogada Ieda de Souza. Sua tese: os policiais agiram obedecendo a uma autoridade hierarquicamente superior e, portanto, são inocentes.

TER. 9/4

Nova acusação contra Chalita

Em novo depoimento ao Ministério Público, o analista de sistemas Roberto Grobman diz que quando era secretário paulista de Educação (2002 a 2006, gestão Geraldo Alckmin) o deputado federal Gabriel Chalita (PMDB) mandou contratar seu personal trainer para um cargo de confiança no governo. O educador físico Alexandre de Freitas foi contratado em abril de 2004 como assessor da Fundação para o Desenvolvimento da Educação, com salário de R$ 10 mil. "Como Alexandre recebia da secretaria, Chalita (foto) não pagava os honorários pelos serviços prestados como personal trainer", afirmou Grobman, que foi assessor de Chalita e o acusa de receber propina de empresas fornecedoras de produtos e serviços da secretaria. Chalita é investigado em 11 inquéritos pelo MP. Ele nega as acusações.

QUA. 10/4

Mulheres bebendo

mais e demais

Pesquisa divulgada pela Universidade Federal de São Paulo mostra que as mulheres estão bebendo mais. O consumo nocivo de álcool - quatro doses para mulheres, cinco para homens em menos de duas horas - subiu de 36% para 49% entre elas em seis anos. Na população geral, o aumento é de 31%. E 17% dos brasileiros são dependentes de álcool.

Bloqueados R$ 520 milhões da empresa de Maluf

A Justiça determina o bloqueio dos bens até o limite de R$ 519,7 milhões da Eucatex S. A. Indústria e Comércio. O valor corresponde ao que teria sido desviado pelo ex-prefeito da capital paulista e deputado Paulo Maluf (PP), dono da Eucatex, e serviria para ressarcir os cofres públicos. O pedido do Ministério Público se baseia na suspeita de que a Eucatex se desfaria de bens a fim de evitar que sejam usados para cobrir o rombo causado à administração municipal.

QUI. 11/4

Alckmin quer mais rigor

com adolescente que mata

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defende penas mais rígidas para infratores com menos de 18 anos. Ele disse que seu partido, o PSDB, prepara projeto para modificar o Estatuto da Criança e do Adolescente com esse fim. Comentava a morte do estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, por um rapaz de 18 anos, num assalto em São Paulo. Manifestantes foram à Av. Paulista fazer coro e pedir a diminuição da maioridade penal. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que é preciso cautela com propostas de mudança no tratamento de menores infratores: "Há verdadeiras escolas da criminalidade em muitos presídios brasileiros".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.