O que passou

SEG. 28/5

O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2012 | 03h08

Ex-premiê e islamista vão

para 2.° turno no Egito

Ahmed Shafiq, ex-premiê do ditador deposto Hosni Mubarak, e Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana, são confirmados para o segundo turno da disputa presidencial no Egito, nos dias 16 e 17 de junho. O primeiro turno, na semana passada, foi considerado o primeiro pleito presidencial livre do país, mas a eleição foi alvo de protestos, críticas e acusações de fraude, não acolhidas pela comissão eleitoral egípcia.

Juristas querem

descriminalizar drogas

A comissão de juristas do Senado que discute o novo Código Penal aprova a descriminalização do porte de drogas para consumo próprio. Mas a comissão postula uma ressalva: uma pessoa poderá responder a processo na Justiça caso consuma "ostensivamente" substâncias entorpecentes em locais públicos, principalmente na presença de crianças e adolescentes. O colegiado tem até o fim do mês para apresentar uma proposta de reforma do Código. Após votação na Câmara e no Senado as sugestões podem se tornar lei.

TER. 29/5

Policiais da Rota são

presos em São Paulo

Três policiais da Rota são presos em flagrante sob a acusação de homicídio e seis são afastados das ruas. Eles teriam torturado e executado seis integrantes do PCC durante um suposto confronto perto da Favela Tiquatira, na zona leste da capital, na noite de segunda-feira. Segundo a versão oficial, houve tiroteio na operação. As principais provas contra os policiais são o telefonema de uma testemunha ocular da ação (ela diz ter visto espancamentos) e um vídeo gravado por uma câmera situada a 3 km do local onde, segundo a polícia, teria acontecido a troca de tiros. Na noite de quarta, criminosos impuseram toque de recolher no bairro Cidade Tiradentes, na zona leste, como protesto contra as mortes na operação. Na quinta, os seis policiais detidos administrativamente foram liberados, mas continuam afastados da Rota. Ainda nessa semana, coincidentemente, o Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu ao Brasil maiores esforços no combate aos "esquadrões da morte" e o fim da Polícia Militar, responsável, segundo a ONU, por "execuções extrajudiciais".

QUA. 30/5

Corte autoriza extradição

de Julian Assange

A Suprema Corte da Grã-Bretanha autoriza a extradição do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, para a Suécia, onde ele é acusado de abuso sexual e estupro. Preso em Londres desde 2010, o australiano Assange pode apelar da decisão à Corte Europeia de Direitos Humanos. Para a corte, porém, o mandato das autoridades suecas cumpre os requerimentos legais.

Farc libertam o jornalista

francês Romeo Langlois

Mantido como refém pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) desde 28 de abril, o repórter Romeo Langlois (foto) é resgatado por uma missão da Cruz Vermelha, na selva de Caquetá, sul do país.

12 países expulsam

embaixadores sírios

Alemanha, Austrália, Bulgária, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Nova Zelândia, Reino Unido e Turquia expulsam embaixadores e altos diplomatas sírios de seus territórios. Bélgica, Holanda e Suíça declaram os diplomatas sírios persona non grata. A medida é uma retaliação ao governo de Bashar Assad pelo massacre de 108 civis no fim de semana em Houla. Autoridades sírias negam envolvimento e acusam "terroristas" da autoria do massacre.

CPI convoca Agnelo e

Perillo, mas poupa Cabral

Os governadores Agnelo Queiroz (PT-DF) e Marconi Perillo (PSDB-GO) são convocados para depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as relações entre políticos e o contraventor Carlinhos Cachoeira. Os integrantes da comissão, porém, rejeitam, por 17 votos a 11, o pedido para ouvir também o governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), próximo do empresário Fernando Cavendish, da Delta. Perillo e Agnelo devem prestar esclarecimentos nos dias 12 e 13 de junho.

QUI. 31/5

Ex-presidente liberiano é condenado a 50 anos

O Tribunal Especial para Serra Leoa sentencia o ex-presidente liberiano Charles Taylor a 50 anos de prisão por crimes de guerra e crimes contra a humanidade na guerra civil de Serra Leoa (1991-2002). Condenado em abril, Taylor é o primeiro ex-chefe de Estado desde a 2ª Guerra Mundial a ser punido por um tribunal internacional.

TJ manda Kassab dar

'Habite-se' ao Bahamas

O Tribunal de Justiça de São Paulo determina que a Prefeitura conceda o certificado de conclusão de obra, Habite-se, à boate Bahamas, de Oscar Maroni Filho, interditada por Gilberto Kassab (PSD-SP) desde 2007. A vitória jurídica ocorre dias depois do depoimento de Maroni ao Ministério Público, em que afirma que o ex-diretor do Aprov, Hussain Aref Saab, pedira R$ 170 mil para liberar o empreendimento. Maroni pretende denunciar Aref e o secretário de Controle Urbano, Orlando Almeida, ao MP. "Não vou processar porque isso não dá em nada. Eu vou quebrar a cara dele", ameaçou Almeida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.