O que passou

DOM. 2/9

O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2012 | 03h06

Reverendo Moon morre

na Coreia do Sul aos 92

O líder religioso Sun Myung Moon, fundador e líder da Igreja da Unificação, morre aos 92 anos. Ele estava internado com pneumonia havia 15 dias em um hospital na cidade de Gapyeong, a noroeste de Seul, na Coreia do Sul. O polêmico reverendo dizia ser o novo messias, convidado por Jesus Cristo para fundar seu novo reino na Terra. Nascido em 1920 na Província de Pyongan, na atual Coreia do Norte, Moon fundou a Igreja da Unificação em 1954. O religioso também construiu um império empresarial, como fundador do jornal americano Washington Times e dono do New Yorker Hotel, em Manhattan. Moon enfrentou acusações de fazer lavagem cerebral em seus fiéis, destruir famílias e enriquecer com a fé. Na década de 1980, passou 11 meses preso por crimes fiscais nos Estados Unidos.

SEG. 3/9

Dilma rebate artigo de FHC publicado no Estado

Em nota oficial, a presidente Dilma Rousseff rebate as críticas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em artigo publicado no jornal O Estado de S. Paulo no domingo passado. No texto Herança Pesada, FHC critica o legado deixado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a sucessora, citando uma "crise moral" e o escândalo do mensalão. "Recebi uma herança bendita. Recebi uma economia sólida, com crescimento robusto, inflação sob controle, investimentos consistentes em infraestrutura e reservas cambiais recordes. Recebi um país mais justo", diz a nota da presidente. "Não reconhecer os avanços que o País obteve nos últimos dez anos é uma tentativa menor de reescrever a história. O passado deve nos servir de contraponto, de lição, de visão crítica, não de ressentimento", afirmou Dilma.

TER. 4/9

Michelle Obama abre

convenção democrata

A primeira-dama norte-americana, Michelle Obama (foto), abre a Convenção Nacional Democrata em Charlotte, na Carolina do Norte. Em tom pessoal, sem ironias nem provocações a Mitt Romney e aos republicanos, Michelle animou os democratas com um discurso sobre a política e os ideais do marido, o presidente Barack Obama. Na quinta, o ex-presidente Bill Clinton confirmou oficialmente Obama como o candidato do partido.

QUA. 5/9

Suíça devolve US$ 6,8 mi

do ex-juiz Lalau ao Brasil

Depois de 12 anos de investigações e processos, o Tribunal Federal da Suíça autoriza a repatriação dos US$ 6,8 milhões (cerca de R$ 14 milhões) bloqueados no país na conta do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, conhecido como Lalau. O bloqueio foi feito após a descoberta do envolvimento do juiz no escândalo de superfaturamento do Fórum Trabalhista de São Paulo em 2000 (entre 1991 e 1994, Lalau fez transferências milionárias para sua conta no paraíso fiscal, desviando verbas das obras do fórum). Além dele, foram acusados e condenados o ex-senador Luiz Estevão e os empresários Fábio de Barros e José Ferraz. Atualmente, Lalau cumpre prisão domiciliar em São Paulo. O tribunal suíço também determinou que o ex-juiz indenize o Brasil em US$ 2,1 milhões (R$ 4,2 milhões). Dessa vez, não cabe recurso.

SEX. 7/9

Série de terremotos faz mais de 60 mortos na China

Quatro terremotos, com magnitudes entre 4 e 5,7 graus na escala Richter, derrubam 20 mil casas e provocam deslizamentos de terra nas Províncias de Yunnan e Guizhou, no montanhoso sudoeste da China, deixando 67 mortos e mais de 700 feridos. Duzentas mil pessoas ficaram desabrigadas.

Paquistanesa acusada de blasfêmia é libertada

Um tribunal de Islamabad decide libertar a cristã paquistanesa Rimsha Masih, de 14 anos, presa após ser acusada por vizinhos muçulmanos de queimar páginas do Qaida Nurani, um livro de instruções para aprender a ler o Alcorão. Rimsha foi detida no dia 16 de agosto. Para libertá-la, o juiz estipulou uma fiança de 500 mil rupias (cerca de R$ 11 mil).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.