Troca de figurino

Enfim, Ricardo Teixeira jogou a cartola. Mudança estrutural no futebol brasileiro? O historiador

O Estado de S.Paulo

18 de março de 2012 | 03h11

Hilário Franco Júnior baixa a bola ao avaliar o "Sistema Político-Financeiro Fifa", ao qual se conecta a CBF. Já a economista Elena Landau calcula o que seria uma guinada na nossa velha confederação. Flávia Tavares, repórter, sai de bloquinho em punho para investigar a suposta alergia presidencial ao ex-dono dos gramados. Professor de literatura e portador de paixão incurável pelo nosso futebol, o alemão Hans Gumbrecht vai para a cobrança de pênaltis: "Os brasileiros agem como se o rechonchudo Ronaldo fosse um verdadeiro campeão, como se Teixeira fosse apenas um tecido cancerígeno e como se o País ainda tivesse o melhor futebol do mundo".

Exclusivo | Págs. J4 e J5

Antes atleta e viajante do mundo, Tony

Nicklinson pede o

direito de morrer.

Pág. J8

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.