Vivamos a diferença

Ao criar a "ciência do observado", o antropólogo francês Claude Lévi-Strauss provou que o centro do seu humanismo não é o humano - mas o outro, o diferente. E foi com esse olhar sem anteparos que contemplou o grande espetáculo do mundo.

O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2009 | 00h41

Um homem de fala seca, que não se repetia/Gilles Lapouge Ele fez a trama entre mito e cultura/Edward Rothstein

Foi um profeta do ambientalismo/Beatriz Perrone-Moisés

Racismo, um enfrentamento público/Lilia Schwarcz

Fotógrafo com foco na afetividade/Simonetta Persichetti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.